4.2.14

My World / Capítulo 03


    "A infelicidade tem isto de bom: faz-nos conhecer os verdadeiros amigos."
                                    No capítulo anterior...

-Alô -atendi um telefonema repentino-
-Lola, preciso de você aqui, por favor me ajude- disse uma voz fraca e sofrida
-Natan, é você?-
-Sim Lola, me ajude por favor-
-Natan aonde você ta? Por favor, me responda- disse desesperada
-Estou em um galpão, perto do colégio. Por favor não fale pra ninguém- disse em um tom de choro e o telefonema caiu 
. . .
[....]
-Pode guardar tudo pra mim? - perguntei para a caixa 
-Não Srta. não podemos. -respondeu a mesma digitando em seu notebook 
-Por favor, eu pre-preciso -gajei com o efeito do nervosismo- fazer um negocio agora! -exclamei- 
-Moça não insista, não podemos guardar as suas compras . 
-Que porra, o que gusta guardar a droga dessas compras por alguns minutos, ou horas? -disse descontrolada-
-Saia daqui agora garota, ou vai ser preciso chamar os seguranças?-
-Tudo bem, só estou perdendo o meu tempo nessa droga mercado - disse se retirando- 

Sai do mercado, indo em direção ao meu carro. Sai cantando pneu em alta velocidade, não estava pensando em mais nada naquele momento, dane-se muta, dane-se tudo. Com quem devo me importar realmente nesse momento  é com o Natan. Fui direto ao galpão perto do colégio como Natan me informou, não me lembrarás completamente aonde era então fui rodeando aquele lugar (...) Até que encontrei. Desci do carro, olhei para os lados na tentativa de achar alguém, mas nada, percebi que eu era a única ali naquela rua deserta. Fiquei imaginando, como seria isso anoite . Adentrei o galpão que era completamente sem iluminação, o que realmente iluminava aquele lugar era uma brecha do portão que estava meio quebrado e o sol invadia aquele minusculo buraco.  Mas não ajudava, quando se tratava de enxergar algum, peguei o meu celular e coloquei no modo lanterna.  Subi uma escada de metal que havia naquele lugar sinistro, logo em cima havia um corredor amplo com várias portas. Confesso que estava tremula, nervosa com o que poderia estar acontecendo . Parei de costas para a escada, olhando aquelas portas. Estava pensando como foi que tudo pode ter acontecido em apenas um dia ? Será que foram aqueles garotos que armaram tudo? Será que eles, querem me atingir através do Natan? Por que eles riam e Natan dizia que não? Mentalmente eu me questionava, tentando encaixar cada suspeita em seu lugar. Fui em direção a umas das portas e abri a mesma lentamente tentando não fazer barulho mas foi uma tentativa sem sucesso, a porta fazia um barulho irritante que acabarás com qualquer ouvido . 

-Natan? - Disse olhando cada canto de um quarto velho, que havia por traz daquela porta com a ajuda da lanterna de meu celular. Não vi Natan ali, então decidi ir até a outra porta. -Natan? Aonde você ta? - Disse abrindo a segunda porta, que novamente era um quarto sujo e não tão agradável. Sem sucessos de encontra-lo fui para a seguinte porta e assim foi a minha procura por Natan. No final me restou a última porta por ondes me restará acha-lo . Abri a porta lentamente e novamente havia mais um quarto ali, da mesma forma que os outros, estava um lixo por completo, mas algo me chamou atenção naquele ninho de rato, havia um tipo de porta em baixo de uma mobília velha. Empurrei a mobília empoeirada, fazendo-a sair de cima da suspeita porta que certo daria acesso a algum porão. Levantei aquela pequena porta quadrada para cima, fazendo-a encostar na parede. Desci a curta escada, ali já era um lugar mais claro diferente da iluminação lá de cima. Eu fui andando, sem saber por onde iria e o que iria encontrar durante a minha caminhada. (...) Mas, finalmente eu o encontrei . 

Natan? O chamei na esperança de ter uma resposta, mas não, Natan continuou imóvel no chão - Corri desesperada até  ele,  estava com a cabeça sangrando. Coloquei os meus dedos em seu pescoço para ver sua pulsação e Natan estava respirando. Mas ainda assim não estava aliviada com a quantidade de sangue que saia de sua cabeça -Natan, por favor fale comigo. -Insisti colocando sua cabeça em cima de minhas pernas . 

- Ora, Ora, Ora - Me virei rapidamente me deparando com ele .. 
- Justin? -disse surpresa- 
- Sim! surpresa porque? -disse me encarando
- O que faz, aqui? 
- Riu- Como você é inocente né?
- An? não estou intendendo! O que você faz aqui? Quem fez isso com o Natan?
- Riu sarcasticamente- Natan é nosso comparsa, sabia que Natan é um ótimo ator dramático? 
- Não acredito em você, Natan nunca seria capaz de fazer isso comigo, Natan é meu melhor amigo -disse tentando prender as lagrimas que insistiam em sair- 
- Tudo bem acredite se quiser! (SeuNome), (SeuNome) não existem "melhores amigos" como você diz, ninguém é amigo de ninguém em exceto Deus, mais isso não vem ao caso. Se Natan realmente fosse seu amigo, ele não mentiria pra você! Natan sempre esteve com agente. Há é também faz parte do nosso esquema, foi preciso dar uma coronhada nele, daqui apouco ele esta de volta! -disse rindo -
- Cala a boca seu maldito, EU NÃO ACREDITO EM VOCÊ ! -disse entre lagrimas
- Sem agressividade pequena venha comigo -disse me levantando
- Aonde você vai me levar? -disse assustada
- Pro meu quarto!
- Não, o que você quer de mim? Me deixa em paz! 
- Quero você!- afirmou

 Justin me levou para um quarto grande e luxuoso, totalmente diferente dos últimos quartos que eu havia visto nesse lugar.  

Senta ai -disse me jogando em sua cama- Tenho uma surpresa pra você -riu
- O que você vai fazer?  
- Você vai ter a noite mais especial da sua vida -disse saindo do quarto

Me encolhi em cima daquela cama, com a cabeça apoiada em meus joelhos. Eu não sabia o que iria acontecer, o que passa pela cabeça de Justin? Nunca pensei que ele fosse assim . Sim eu o tratei um tanto mal, mas creio que isso não tem nada haver, com o que ta acontecendo.  -pensei comigo- Até que vi a porta se abrir .

- Não chore Lola! É assim que te chamam, né? -disse Justin fechando a porta
- Por que está fazendo isso? -disse indo até ele
- Ora, resolveu me encarar? -disse olhando em meus olhos
- Nunca pensei que você fosse assim!
- Assim, como? Uma pessoa justa?
- Uma pessoa Justa, justa porque? O que você ta fazendo de justo nessa porra? -disse aumentando a voz
- Riu- Adoro te vem assim, brava ao mesmo tempo com medo  -disse chegando perto de mim, pegando em meus cabelos-
- Não toca em mim! -disse se afastando
- Tudo bem -se afastou- Já tá escurecendo, então vou em minha casa.
- Como assim escurecendo? Você não vai me deixar voltar pra casa?
- Riu - Não, você vai ficar aqui. Bem quietinha, me esperando -sorriu-
- E os meus pais? Eles vão ficar preocupados! -exclamei
- Foda-se a preocupação dos seus pais, depois eu me resolvo com eles!
- Você não vai fazer nada com eles seu desgraçado -disse dando tapas em seu peitoral-
- Hey, hey -me segurou- Se você continuar se comportando dessa forma eu vou ser obrigado a ir até a sua casa -sussurrou em meu ouvido- Ryan vai ficar aqui com você!

Justin havia saído  do quarto, ouvi barulhos de chave . Então conclui que ele estava me trancando (...)
Sentei na cama de frente para a porta e observei a mesma se abrir novamente. Vi um garoto entrar, devia ser o tal Ryan que Justin disse que ficaria comigo. Ele me observava, com aquele olhos verdes e seduzentes. 

- Uau, a famosa Lola! -disse se sentando em uma das poltronas que haviam no espaçoso quarto- Não vai falar nada? -Continuei muda- Ok, gosto de garotas assim! Difíceis e mal humoradas -riu- 

Ryan começou a batucar nos braços da poltrona, creio que ele pensava que estava arrasando mais aquele som estava uma merda -ri mentalmente. Eu não sabia como estava o tempo lá fora e nem que horas eram, apenas sabia que estava tarde como Justin revelou, aqui não tinha janela alguma, ou se quer horas. Eu estava completamente sem rumo, Justin havia pego o meu celular, me deixando sem comunicação alguma.

- Você tem horas? -perguntei a Ryan, interrompendo-o no batuque 
- São 23:50 PM -disse olhando em seu relógio -Posso saber porque?
- Por nada!  

Ryan já havia saindo do quarto, me deixando apenas uma camiseta do Justin para que eu dormisse, já era quase 00:00 AM e Justin não chegava, eu precisa saber se ele foi em minha casa, mas o sono não ajudava eu já estava ficando sonolenta, o sono fazia com que eu fechasse os meus olhos mas eu insistia em mantê-los abertos. Era uma guerra sem fim, mas no final ele que ganhou a batalha (...) Senti alguém se deitar ao meu lado, e assim me levei, sentando assustada para ver quem era . 

- Oi princesa -disse Justin já sem camisa e tirando as calças- 
- Coloque já essas calças - disse encarando-o
- Não, eu sempre durmo assim e não vai ser agora que não vou. -disse se deitando
- Garoto insuportável - resmunguei -

Me deitei ao lado de Justin me encolhendo completamente, até desmaiar de sono.

                                                         "No dia seguinte"
. . . 
Oi Jujubas, confesso que não gostei muito desse capítulo mas sem
 desculpas estou um tanto sem criatividade quando se trata de "Suspense" . 
Mas espero vocês leitoras que amo tenham gostado (: 
Sigam-me @jerrydisponivel .
                                                     Um beijos nas bundas <33 Bý; Liisa'                                                            Acompanhem o IB da Biiah ' = Keep Out  
                                                               

8 comentários:

  1. Omg! Estou curiosa pra saber o que acontecerá no próximo capítulo kra Continua please

    ResponderExcluir
  2. Continuaaa pfvr!!! pleasee!!!

    ResponderExcluir
  3. Pedido de afiliação, aceito. Coloque-me na sua elite e me avise para eu fazer o mesmo. Bjjs

    nome do meu blog: crazy for jerry
    link do meu blog: http://imaginebelieber69jb.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Mona,continuua to curiosa apesar De Eu ja saber um pouco que vc me contou nee!! Kkkkk te amoo amiga vou te acompanhar pq Ta muiito show!! G-zuis contiinuaaa!!

    ResponderExcluir

São os seus, comentários que nós motivam a continuar . .
Então, nós deixe feliz e comente ^.^